✅ DEMÔNIOS, ESPÍRITOS MALIGNOS ou DOENÇAS MENTAIS?

✅ DEMÔNIOS, ESPÍRITOS MALIGNOS ou DOENÇAS MENTAIS?

Vamos começar por Maria Madalena. Como falam mal de Maria Madalena. A ICAR mente dizendo que ela era a prostituta (nos filmes católicos e evangélicos, inclusive no Paixão de Cristo ela é a mulher adúltera, salva por Jesus que após escrever na areia enfrentou os religiosos legalistas prontos a apedreijá-la), que ela foi endemoninhada, e que ela ungiu os pés de Jesus com perfume. Não. Ela era tão próxima de Jesus, a apóstola (foi enviada para proclamar O Evangelho – as notícias do Salvador ressuscitado), serviu Jesus em 3 anos e meio com seus bens, sustentando suas viagens, roupas, alimentação e todas as suas atividades. Ela era culta, ensinou os discípulos, participou ativamente do ministério do Deus em carne, e não foi a que enxugou os pés de Jesus com seus cabelos, nem tão pouco a prostituta ou a mulher adúltera.

Pois bem, vejamos o texto: ‘E algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios’ (Lucas 8:2).

Como sempre a verdade é o óbvio e está no centro, no EQUIlíbrio. Os extremos mistificam tudo demonizando ou mitificam tudo duvidando, e esses são os da teologia moderna que dizem não existirem espíritos malignos literalmente. Nenhuma novidade, Jesus conviveu com saduceus e fariseus, e ambos sempre estiveram errados em suas teorias extremas.

Acontecimentos reais e não falsificados (hipnose, teatro, doença mental ou invocação) existem hoje em lugares onde O Evangelho não é tão conhecido, generalizado e banalizado. Pois como ensino: são sinais para os DESCRENTES, e não uma artimanha para ganhar fiéis, lucrar dinheiro ou tentar provar a presença divina.

Em quase todos os casos – quase todos – a possessão demoníaca causa alguns tipos de loucura…

Josefo (de Belo Jud. VII. 6,3) pensava que os demônios eram os espíritos dos homens maus, que depois da morte voltariam a este mundo, e essa ideia era comum entre os antigos, incluindo os gregos. Também foi a ideia de alguns dos pais da ‘igreja – ICAR’, como Justino e Atenágoras. Tertuliano foi o primeiro a mudar de ideia na ICAR, aceitando
que os demônios são anjos caídos, e não espíritos humanos. Finalmente, Crisóstomo (407 D.C.) rejeitou a ideia que os demônios são espíritos humanos, e a ICAR aceitou que os demônios são outros espíritos, talvez pertencentes à ordem dos anjos.

Que coisa! De tão verdade o que vou falar que vai parecer até arrogância: nenhum deles, nenhum, sabia o que são espíritos malignos. Veja meu vídeo sobre os ALIENS, 666 e Salomão, sobre a Umbanda e as invocações. Tão simples, entender sobre os 72 gênios, de Gn 6, onde explico tão simplesmente que os espíritos malignos são os espíritos dos gigantes (nefilins) que morreram no dilúvio e até depois dele. Eles ficam vagueando pela Terra e querendo possuir pessoas, como diz o livro de Enoque e tantos outros escritos bem mais confiáveis que os teólogos ou pais da ICAR.

Os demônios de Ef 6 ou Ap 12, ainda vão vir à Terra na Grande Tribulação, e não estão nessa dimensão, AINDA.

Por isso as pessoas ‘viam coisas’ antigamente, mais do que hoje em dia. O mundo era menos iluminado, menos povoado, mais desértico.

Os espíritos malignos preferem sepulcros, lugares melancólicos e mórbitos. Epifânio menciona lugares como as colinas de Gadara. O suicídio cometido nos cemitérios é um fenômeno comum, provavelmente ocasionado pela mesma atitude mórbida que levava aqueles homens a habitarem entre as sepulturas.

Eles eram furiosos: ninguém podia passar por aquele caminho, pois eles eram loucos, monstros, homicidas, que viviam falando sozinhos, maníacos, como animais ferozes.

Cristadelfianos…

Para os Cristadelfianos, os demônios na Bíblia são os deuses dos pagãos, isto é, dos não cristãos e não judeus. Segundo os Cristadelfianos, os antigos gregos acreditavam que os espíritos podiam possuir pessoas e que eram os espíritos dos falecidos que tinham subido ao nível de demônios (semideuses que traziam o bem ou o mal à humanidade). Quando alguém não entendia a causa de uma enfermidade, por não haver causa aparente ou por ser uma doença do foro psicológico, a enfermidade era atribuída a demônios.

Eles estão certos quanto ao fato que são os mesmos deuses pagãos, pois são os filhos de Deus que tiveram relações com as mulheres, procuram corpos e estes influenciaram a cultura dos homens, dos grandes impérios, fazendo-os acreditar neles, cultuarem eles e oferecer sacrifícios em troca da interferência – VIDE MEU VÍDEO SOBRE O DIABO INTERFERE, COMO E QUANDOmas erram ao acreditar que esses espíritos são dos homens mortos que evoluiram, daí a origem da crença espírita ou hinduísta.

Já na tradição judaica…

Para boa parte dos judeus, a figura do demônio tem um significado totalmente diverso daquela corrente na tradição cristã. Para eles os demônios são seres meio-humano, meio-espírito, criados após o homem, podendo reproduzir-se e ser bons ou maus, mas de natureza incompleta, cujos atos tendem ao caos.

Já os judeus que conhecem bem a Torá, o Tanakh e o livro de Enoque (não estes da internet adulterados – mas o puro, do etíope ou proto-hebraico) sabem que o que ensino é verdadeiro. Esses vieram dos gênios, os 72 filhos de Deus, conhecidos depois como 70 filhos de Baal. Esses que Salomão os dominava, e daí surge a possibilidade da crença umbandista de sacrificar para esses guias, onde eles podem agir para o nosso bem ou mal, inclusive a possibilidade de alguns fazerem oferendas para que esses espíritos vinguem-se de pessoas que tenham nos feito algum mal.

Mas eles não fazem O BEM. Esse é o grande engano. Eles não são fiéis a ninguém, só temem Ao Criador. Eles cobram e muito caro para aqueles que se aproximam deles e os usam, mesmo que com preço de sangue.

Os Sumérios (Ur dos Caldeus – Contemporâneo a Abraão)…

As mais antigas referências à possessão demoníaca vêm dos sumérios, que acreditavam que todas as doenças do corpo e da mente eram causadas por “demônios de doenças” chamados gidim ou gid-dim. Os sacerdotes que praticavam exorcismos nessas nações eram chamados de ashipu (feiticeiro) em oposição a um asu (médico), que aplicava bandagens e pomadas. Eles tinham tábuas escritas com orações para certos deuses pedindo proteção contra os demônios (o paganismo sempre agiu assim, sem discernimento, rogando para um espírito maligno te proteger de outro espírito maligno) enquanto outras pedem aos deuses para expulsar os demônios que invadiram seus corpos.

Culturas Xamânicas…

Eles também acreditam em possessões demoníacas e os xamãs realizam os exorcismos. Nessas culturas, as doenças são muitas vezes atribuídas à presença de um espírito vingativo no corpo do paciente. Estes espíritos eram mais frequentemente descritos como espectros (fantasmas ou energia) de animais ou pessoas injustiçadas pelo portador (pessoas que em vida foram lesadas e agora se vingam incorporando o causador), os ritos de exorcismo geralmente eram compostos de ofertas respeitosas ou ofertas de sacrifício.

E assim como nas muitas vertentes do espiritismo, hinduísmo, xamanismo e outras ramificações pagãs, os pentecostais, neo-pentecostais e carismáticos estão expulsando espírito maligno com espírito maligno, é só um teatro de oferendas. Pessoas que vivem desse paleativo e nunca são libertas. Mais uma vez aconselho assistir o recente filme ‘Regressão’.

Como explicar Lucas 11:24 ao 26?

24 Quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares secos, buscando repouso; e, não o achando, diz: Tornarei para minha casa, de onde saí. 25 E, chegando, acha-a varrida e adornada. 26 Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o último estado desse homem é pior do que o primeiro.

Já falamos que os espíritos malignos preferem os lugares ermos (Tobias 8:3, Mc 5:10 e Ap 18:2), mas o que eles tem como favorito mesmo é o lugar vazio do ser humano. Os judeus sempre acreditaram que se uma pessoa está com ‘espiritualidade baixa’ atrairá os espíritos malignos, e é nesse momento que eles passam a chamar o corpo da vítima de hospedeiro, de ‘minha casa’ e ‘meu templo’. Se O Espírito de Deus está no seu canal de comunicação dado por Ele (seu espírito), então jamais um espírito maligno poderá entrar e habitar ali.

Seu corpo pode ser habitação de Deus ou de espíritos malignos.

Entretanto o significado do texto acima nada tem a ver com espíritos malignos.

Como eu sempre ensino: A BÍBLIA NÃO É SAGRADA e MÍSTICA. Mas aqueles que assim a tem, saem dizendo e repetindo tolices que nunca entenderam: “Se você desviar da ‘igreja’, entram 7 demônios dentro de vocês hein, cuidado!”. Não é assim que o misticismo tolo diz?

Nós desigrejados, saímos da pobre e falsa concepção de ‘igreja’ deles, e estamos como habitação de ‘demônios’.

A interpretação certa do texto acima…

O destino é ISRAEL, sempre ISRAEL, não queira encaixar a Bíblia na sua vida, isso é insano. Vê: Israel, se esvaziava da maldade dos pagãos e gentios, através da religião rigorosa, do legalismo dos fariseus, mas não existia nenhuma transformação espiritual, ao ponto que rejeitaram seu próprio Messias. Por causa disto, Israel será sujeito, por algum tempo ao anticristo, até reconhecer o verdadeiro Messias em Jesus, conforme podemos ver em João 5:43, 2ª Tss 2:8 ao 10, Dn 9:27 e Ap 9:1 ao 12. É só você ler o capítulo todo de Lucas 11 e você verá PARA QUEM ELE falou e QUANDO ELE FALOU essas palavras.

Claro que esse entendimento profundo supracitado não tira a essência da ação dos espíritos, que realmente procuram corpos, e ao verem mais legalidade, voltam com ainda mais espíritos, podendo formar legiões e legiões.

A parte ‘A casa vazia foi limpa e adornada’ foi acrescido pelos copistas, pois fizeram um paralelo de Mt 12:44. Se acharam no direito de copiar e colar ali para tentar elucidar o texto. Nisso, nem erraram, pois apenas colaram um pedaço do que realmente Jesus disse, registrado por Mateus, MAS a ousadia de fazer isso, nos revela muita coisa sobre o caráter dos copistas.

REVELAÇÃO SOBRE O TEXTO…

O que Jesus estava dizendo é que A RELIGIÃO TORNA A CASA APARENTEMENTE LIMPA, VAZIA, OCA, E QUEM OLHA PENSA QUE ESTÁ TUDO BEM (lembra de Mateus 23?), MAS É UMA CASA LIMPA PARA ESPÍRITOS MALIGNOS.

Os religiosos achavam-se limpos, santos, puros, sábios e salvos, mas Jesus mostra que a casa deles estava limpa para ESPÍRITOS MAUS.

Que lindo! Eles, os líderes religiosos de hoje lêem isso e dizem: ‘São os desviados, são os desigrejados, são os rebeldes…’ – QUANDO NA VERDADE o texto é PARA ELES, PARA ELES.

É como encontrar uma mulher com um longo vestido, longo cabelo, nenhuma maquiagem ou joias, com a Bíblia na mão, mas com espíritos malignos, perturbada, falando sozinha, mexericando, vingativa, caluniadora, contendeira e em alguns casos, apresentando realmente uma patologia mental ou sujeita à escândalos sexuais.

Peço perdão usar uma mulher como exemplo, mas são elas as que mais enchem os templos, mantém o sistema e são as mais escravizadas pelo sistema pelos preceitos e dogmas religiosos.

Os judeus achavam que tinham exorcisado o paganismo e a idolatria, mas ao rejeitarem O Messias, tornavam-se piores do que os pagãos.

Doenças Mentais…

Como falei acima, é comum ver pessoas que falam tanto em Deus, muito religiosos, legalistas e apresentam no entanto, vários sintomas de insanidade mental. São síndromes, insônias, visões, vultos, epilepsias, lunatismo, falam sozinhos em público, são descontrolados e bipolares.

Desde o século XIX a Medicina começou a questionar se possessões demoníacas não podem ser, na verdade, manifestações de doenças psiquiátricas. Foi por isso que, depois de séculos sem revisar seus métodos, em 1999 o Vaticano alterou suas diretrizes de exorcismo e passou a reconhecer algumas situações como surtos mentais decorrentes de problemas médicos, e não necessariamente espirituais.

Ora, alma é psique, uma coisa está absolutamente ligada à outra, sem anular a existência e a possessão dos espíritos maléficos.

Com essa grave falta de entendimento, ‘pastores’, ‘padres’ e outros exorcistas sofreram e sofrem às vezes para expulsar um ‘demônio’. Ou eles não estão na autoridade do Nome de Jesus (VIDE LINK) ou na maioria das vezes, são pessoas ‘fingindo’ e/ou com problemas psicológicos. Como o espírito vai sair se a pessoa é insana? E nem sempre insanidade é causada por espíritos malignos, mas geralmente sim, eles se aproveitam de uma ‘casa nessas condições’.

Como saber que são espíritos malignos e não apenas uma doença mental sem a presença deles?

  • Espíritos malignos conhecem objetos e fatos que só eles sabiam. Uma pessoa possessa pode, por exemplo, citar espontaneamente (sem ser entrevistada) que existem objetos escondidos de baixo de uma casa, algo que o possuído não tenha como saber de fato;
  • A força é sobre-humana, bem anormal pela idade ou pelas condições físicas da pessoa. Doenças mentais também apresentam essas condições, mas os espíritos malignos agem paranormalmente. Uma pessoa possessa pode saltar muito alto ou quebrar algo com uma força supreendente, que ele, naturalmente jamais conseguiria;
  • Se manifestam com uma agitação psicomotora que, sem explicação, que não responde à terapia farmacêutica sedativa;
  • Clarividência do passado e do futuro (sem entrevistas);

Vários casos descritos como “possessão demoníaca” são quadros típicos de esquizofrenia, que é uma doença muito comum atualmente.

• Esquizofrenia: é um transtorno psíquico severo que se caracteriza classicamente pelos seguintes sintomas: alterações do pensamento, alucinações (visuais, sinestésicas, e sobretudo auditivas), delírios, alterações no contato com a realidade e transtornos graves do humor como o transtorno afetivo bipolar. Atinge aproximadamente 1% da população mundial em mesma proporção nos homens e mulheres, e se manifesta na faixa dos 15-25 anos.

Nas Esquizofrenias, a pessoa perde totalmente os limites entre o mágico e o lógico, através de seus delírios. De modo geral, qualquer patologia mental capaz de produzir delírios subjuga a lógica, privilegiando morbidamente a mágica.

Agora, imagine um esquizofrênico num templo pentecostal ou carismático? O sacerdote pago para ‘ministrar’ ganhou ‘a noite’.

Veja a importância do dom pastoral, da psicologia pelo Espírito (como sempre ensino) em nossas reuniões como ekklesia orgânica.

O EXORCISMO de hoje…

Evangélico: utilizar O nome de Jesus Cristo com precisão.

Católico: fazer o sinal da cruz e depois aspergir sobre ela água benta. O padre então ordena com fé e firmeza que o demônio deixe o corpo do possesso e ora pedindo pela salvação da vítima em nome de Jesus Cristo. Normalmente, os padres levam o possesso para um templo ou capela, onde podem realizar o rito reservadamente, apenas com a presença dos familiares. As sessões de exorcismo não têm um prazo de duração específico, podendo se estender durante horas, dias ou meses.

Jesus Cristo: ordenava que os espíritos malignos saíssem, sem fórmula, sem água, sem amuleto, sem demorar horas, dias ou meses, saiam imediatamente.

Em trabalhos de bruxaria, umbanda e outras oferendas, é comum vermos eles vomitarem cruzes, cabelos, bonecas, agulhas e tantas outras coisas. Eu vi isso, participei disso, e pode acontecer em qualquer reunião orgânica. Se não acontece é porque não colocamos na frente uma faixa escrito: Campanha de Libertação e Vitória Financeira.

Mas vindo pessoas participarem de nossas reuniões que frequentam esses lugares, por certo se manifestarão.

Mas se eu AKEL, e vocês comigo, formos em uma aldeia longínqua que pouco ou nada ouviu falar sobre O Evangelho, tenha certeza: ao chegarmos no lugar e começarmos a falar da História da Cruz, sinais acontecerão imediata e instantaneamente.

Já quando tiver a oportunidade em um de nossos encontros de vir alguém com problemas mentais, ou suscetível à hipnose, também mostrarei como eles reproduzem sinais falsos.

Muitas doenças físicas são sim trazidas e implementadas pelos espíritos malignos. É possível, como Jesus nos deixou referência, expulsarmos uma casta de espíritos e no mesmo momento a pessoa ser curada, se as doenças são oriundas de trabalhos espirituais. Geralmente isso ocorre com pessoas que frequentaram lugares para ter contato com esses espíritos ou pertencem a famílias pagãs que cultuam veladamente esses ‘deuses – espíritos’. Dando-se legalidade, eles habitam.

Sabedoria: discernir, julgar os espíritos, entender, ter visão, é indispensável para uma reunião orgânica ou trabalho externo do Evangelho não ter erros.

AKEL