✅ A VIDA é um SONHO e o MORRER é o ACORDAR

✅ A VIDA é um SONHO e o MORRER é o ACORDAR

Comecemos com a sábia frase de Arthur Schopenhauer: “A vida é um sonho e a morte o despertar…”

Ele foi um importante filósofo alemão do século XVIII, onde um dos seus melhores trabalhos foi resumir a existência humana servindo-se da alegoria de um pêndulo que oscilaria da esquerda para a direita – como muitos dos partidos políticos – entre o enfado e a frustração. Eu, AKEL, diria também que esse pêndulo é a ambiguidade do ser humano, absolutamente necessária para definir se você é um pagão, sincretista, usuário do bem e do mal, ou se você é um salvo, usando a ambiguidade para equilíbrio, verdade e oposição ao sistema pagão. Ele dizia: “Afinal, como em qualquer pêndulo, dois são os polos a considerar: ou desejamos e, por definição, não dispomos do objeto desejado – frustração –, ou dispomos daquilo que não desejamos mais – enfado”.

A VIDA é como uma projeção, realidade virtual, realidade aumentada ou holograma…

Num dos episódios da série Black Mirror, um jovem morre em alguns segundos após ser um ‘cobaia’ de uma das maiores empresas de ‘games/jogos virtuais’ da Terra. Ao colocar o óculos e entrar naquela realidade virtual, parecia que ele tinha passado muitas horas dentro de uma casa mal assombrada, mas foram apenas alguns segundos.

Ora, o princípio holográfico é uma das ideias cosmológicas que prevêm matematicamente o Universo em apenas duas dimensões, onde na verdade, só aparece tridimensional para nós, pois ele age como um holograma gigante.

O princípio holográfico foi proposto pela primeira vez pelo físico Leonard Susskind na década de 1990.

Ele afirma que um volume de espaço pode ser considerado como codificado num limite a ele – tal como um horizonte gravitacional dependente do observador – e, portanto, precisa de menos dimensões do que parece precisar.

Os físicos teóricos descobriram essa verdade, e desde 1997, já são mais de 10 mil artigos publicados apoiando isso.

O que os físicos querem dizer quando afirmam que o Universo é plano é que o espaço e o tempo não estão totalmente deformados, e por isso o nosso Universo pode se expandir infinitamente. Se o nosso Universo fosse negativo ou positivamente curvado, seria um sistema fechado, e qualquer coisa que você jogasse para o espaço acabaria por voltar.

Agora, uma equipe da Universidade de Tecnologia de Viena, na Áustria, levou as coisas um passo adiante e, em publicação na revista Physical Review Letters, mostrou que o princípio holográfico poderia ser verdade, mesmo em um sistema plano como o nosso universo.

Se a gravidade quântica em um espaço plano permite uma descrição holográfica por uma teoria quântica padrão, então deve haver quantidades físicas, que podem ser calculadas em ambas as teorias – e os resultados devem concordar.

O século XX representou uma verdadeira revolução para a física: primeiro, o reconhecimento da existência do mundo quântico, algo totalmente novo e desconhecido, que parecia contrariar tudo o que se sabia até então. Com o tempo, acabamos conseguindo um entendimento satisfatório a respeito das menores estruturas conhecidas na natureza. Ao mesmo tempo, Albert Einstein desenvolvia sua teoria da relatividade, que proporcionou um salto em como concebemos o funcionamento das maiores estruturas do cosmos.

Os físicos chegaram a conclusão de que as cordas que comporiam nosso universo, existentes em nove dimensões espaciais e uma temporal, seriam um holograma, uma mera projeção das ações que ocorrem neste universo mais simples e mais plano, de apenas uma dimensão.

Acontece que nós crescemos pensando e acreditando que o mundo e a realidade em que existimos é algo tangível e físico e é como ele é percebido.

No entanto, não só este processo de pensamento demonstra ser um engano pelas várias percepções de fenômenos difíceis de explicar, como também percebemos que é completamente subjetivo e não reflete uma realidade verdadeira, daí então a sabedoria nos dirá: tudo que você vê e toca não existe diretamente, tudo é um holograma e você está sendo testado.

O Universo já foi visto como um espaço vazio com matéria espalhadas, agora está sendo visto como uma projeção holográfica decorrente de alguma realidade primária invisível aos nossos instrumentos biológicos e tecnológicos atuais.

Uma pesquisa em 1982 na Universidade de Paris descobriu que sob certas circunstâncias, partículas subatômicas como os elétrons, são capazes de se comunicar instantaneamente uma com a outra ao qual foi entrelaçada, independentemente da distância que os separa. Não importava se eram 3 metros ou 10 bilhões de km de distância. De alguma forma uma partícula sempre parecia saber o que a outra estava fazendo.

O grande físico David Bohm acredita que estes resultados indicam que a realidade objetiva não existe, que apesar da aparente solidez o Universo está no coração de um holograma fantástico, gigantesco e extremamente detalhado.

Dentro de um holograma, o todo está dentro da parte. Não importa quantas vezes você divide o todo, a parte sempre conterá a totalidade.

A dedução sobre as experiências holográficas conclui que autonomia e separação são uma ilusão (maya) e que tudo é UM – ECHAD – Unidade Plena.

Se tudo é UM, então tudo é nada, e tudo é apenas metafísico, parte de um tempo virtual projetado só para testar consciências (almas – espíritos – vidas): NÓS, eu e você.

Em um Universo holográfico, mesmo o tempo (Veja meu vídeo ‘Deus é o Tempo’) e o espaço não podem mais serem vistos como fundamentais. Porque conceitos como localização desaparecem diante de um Universo em que nada está verdadeiramente separado de nada, tempo e espaço tridimensional.

Grande Revelação sobre A VIDA…

A sua realidade de nível mais profundo é uma espécie de super holograma no qual passado, presente e futuro existem simultaneamente. Isso é fantástico, sábio, profundo, revelador, um grande enigma revelado, já que há mais de 12 anos eu preguei no sistema um sermão chamado: A Vida é um Teste, e me lembro bem, o ‘templo’ cheio e quase ninguém deu valor ou entendeu o que eu falei, e hoje aqui espero que alguns sábios entendam.

O Universo tridimensional em que vivemos é um holograma criado a partir de uma realidade primária que está fora do espaço e do tempo, é uma cópia de algo “real”, por isso faz sentido, nesse caso porque o nosso verdadeiro EU está em outra realidade.

Nossa consciência é o verdadeiro nós. A consciência é tudo e, portanto, não é nada, já que tudo o que existe é a consciência – ALMA eterna, daí entendemos João 3:16 – A vinda do Criador em Carne para dar VIDA ETERNA.

Em um Universo holográfico explica-se todas as experiências paranormais e místicas.

Experiências de quase morte podem ser explicadas no Universo holográfico, em que a morte é somente uma mudança de consciência de um nível de realidade do holograma para outro real, de morte eterna ou vida eterna (Veja meus vídeos/estudos sobre Consciência, Inferno e Purgatório).

O que vem a ser A VIDA então? Um Holograma efêmero ou um sonho passageiro?

Um modelo holográfico do Universo explica os sonhos lúcidos, onde tais sonhos são visitas a realidades paralelas. As sincronicidades podem ser explicadas pelo modelo holográfico. Os nossos processos de pensamentos estão muito mais intimamente ligados ao mundo físico do que foi pensado anteriormente. Observe também que as sincronicidades tendem a atingir um pico pouco antes de uma nova percepção ou intuição.

Telepatia, precognição, sentimentos místicos de UNIDADE com o universo e até mesmo a psicocinese podem ser explicados através do modelo holográfico. A holografia pode explicar como o nosso cérebro consegue armazenar tanta informação em tão pouco espaço (o nosso cérebro tem capacidade de armazenar 280,000,000,000,000,000,000 quintilhões de bits com informações).

Todas as realidades relativas são criadas pela consciência existente em relação a si mesma.

“Nós somos essa consciência. Nós somos a consciência existente em relação a nós mesmos e interagimos com nós mesmos”.

A realidade física é um produto da consciência, mas a consciência não é um produto da realidade física.

Imagine um aquário que contém um peixe. Imagine também que você não é capaz de ver este aquário diretamente e seu conhecimento deste aquário se dá por meio de duas câmeras de televisão, uma dirigida ao lado da frente e outra a parte lateral. Quando você fica observando atentamente os dois monitores, você acaba presumindo que o peixe de cada uma das telas é uma entidade individual. Isto porque como as câmeras foram colocadas em ângulos diferentes, cada uma das imagens será também ligeiramente diferente. Mas se você continua a olhar para os dois peixes, você acaba adquirindo a consciência de que há uma relação entre eles. Quando um se vira, o outro faz uma volta correspondente apenas ligeiramente diferente; quando um se coloca de frente, para a frente, o outro se coloca de frente para o lado. Se você não sabe das angulações das câmeras e for levado somente pelos sentidos, você pode ser levado a concluir que os peixes estão se intercomunicando, apesar de claramente este não ser o caso.

Não seria difícil supor que, com base nesses fatos, a ideia de que algo “está lá” ou “não está lá” é mera convenção/consenso, porque o que chamamos de realidade é formulado e ratificado a nível de inconsciência humana, a qual todas as mentes estão interligadas. Sendo assim, o que somos hoje é um reflexo do que projetamos (consciente e inconscientemente) pra nós mesmos: a aparente estrutura física do corpo nada mais é do que a projeção holográfica da consciência/alma.

Por aí você pode entender o que eu ensinei nos vídeos/estudos sobre Linha Imaginária, 4ª Dimensão, ‘A Tua fé te salvou, Não Deus’ e outros sobre física quântica e metafísica.

A vida é um sonho e a morte o despertar (AKEL explica em vídeo)…

A vida é um holograma/teste…

Os óculos virtuais, as projeções 3d, 6d ou 7d, e os games funcionam com uma lógica diferente daquela que encontramos no dia a dia. O aprendizado é quase sempre por tentativa e erro, sem manual de instruções, e não existem líderes: o universo gira em torno de cada jogador ou usuário virtual, onde cada missão tem um líder diferente. Todos os obstáculos podem ser quebrados, e é por isso que esta geração está chegando ao mercado de trabalho de forma resistente ao sistema e saindo do extremo hierárquico para o extremo anarquista ou ‘niilismo’. Eles resistem em obedecer aos patrões e tem mais vontade de aprender fazendo e mais necessidade de recompensas imediatas, o que as empresas nem sempre conseguem oferecer.

Essa realidade paralela explica o que é a VIDA.

Quando começa este HOLOGRAMA, esse DORMIR, o SONHAR, quando afinal colocamos o óculos e começamos a PROVA da EXISTÊNCIA para O CRIADOR saber se somos uma BOA CONSCIÊNCIA ou uma MÁ CONSCIÊNCIA?

Segundo o Catolicismo Mãe e Protestantismo Filhas, a vida começa na concepção, quando o óvulo é fertilizado formando um ser humano pleno e não é um ser humano em potencial. Por mais de uma vez, o papa Bento 16 reafirmou a posição da Igreja contra o aborto e a manipulação de embriões. Segundo o ‘papa’, o ato de “negar o dom da vida, de suprimir ou manipular a vida que nasce é contrário ao amor humano”.

Já no Islamismo o início da vida acontece quando a alma é soprada por Alá no feto, cerca de 120 dias após a fecundação. Os muçulmanos condenam o aborto, mas muitos aceitam a prática principalmente quando há risco para a vida da mãe. E tendem a apoiar o estudo com células-tronco embrionárias.

O Budismo diz que a vida é um processo contínuo e ininterrupto. Não começa na união de óvulo e espermatozóide, mas está presente em tudo o que existe – nossos pais e avós, as plantas, os animais e até a água. No budismo, os seres humanos são apenas uma forma de vida que depende de várias outras. Entre as correntes budistas, não há consenso sobre aborto e pesquisas com embriões.

Já no Hinduísmo a Alma e matéria se encontram na fecundação e é aí que começa a vida. E como o embrião possui uma alma, deve ser tratado como humano. Na questão do aborto, hindus escolhem a ação menos prejudicial a todos os envolvidos: a mãe, o pai, o feto e a sociedade. Assim, em geral se opõem à interrupção da gravidez, menos em casos que colocam em risco a vida da mãe.

A GRANDE VERDADE SOBRE O COMEÇO DA VIDA…

Só então encontramos a verdade entre os judeus e não no JUDAÍSMO, veja: A VIDA (CONSCIÊNCIA) começa apenas no 40º dia (ALGUNS DIZEM DO 7º DIA ATÉ O 40º APÓS A FECUNDAÇÃO). A formação humana realmente só começa depois de 40 dias. Antes disso, a interrupção da gravidez não é considerada homicídio. Dessa forma, os judeus mesmo com Torá, sempre permitiram a pesquisa com células-tronco e o aborto quando a gravidez envolve risco de vida para a mãe ou resulta de estupro. Aqui está A VERDADE, o restante faz como os fariseus, essênios e gnósticos, criam preceitos com aparência de santidade mas são pura vaidade, não valem nada, a não ser para seu próprio ego religioso.

SE a MORTE é o ACORDAR, o DESPERTAR, quando então sairemos desse HOLOGRAMA para a VIDA REAL ETERNA COM NOSSO CRIADOR ao VENCERMOS ESTE MUNDO?

Primeiramente salientar que os perdidos passarão pelo ‘umbral – sheol – purgatório – inferno da Consciência por uma longa eternidade’ vendo todos os seus erros diante de si (VEJA ESTE ESTUDO – LINK).

As muitas formas de despertar, acordar, tirar o óculos das projeções da existência hologramada para a promoção ou depuração da consciência…

Estado de Coma: a inconsciência é causado por danos na substância reticular ativadora, que regula nosso despertar. São os neurônios dessa substância que nos fazem acordar com toques ou ruídos. Em tipos leves de coma, a pessoa fica agitada, suando, emitindo grunhidos e tem delírios.

Coma profundo: nesse estágio, nem mesmo estímulos dolorosos afetam o organismo. Dependendo da lesão, o paciente pode até manter sentidos, como a audição, mas dificilmente entenderá o que ouve.

Estado vegetativo: o paciente tem danificado o córtex, a “casca” do cérebro, região responsável pelo raciocínio, movimentos voluntários e sentidos. Não voltará a sentir, ter memória ou consciência de si, mas a atividade automática do corpo continua normal. Os olhos mantêm-se abertos, há respiração e até choro involuntário. A americana Terri Schiavo ficou assim durante 15 anos.

Coma irreversível: é causado por lesões encefálicas irrecuperáveis . Danifica movimentos voluntários e o funcionamento automático do corpo, que não recebe mais ordens para fazer funcionar atividades vitais, como a respiração. Nesse caso, a pessoa viverá para sempre sem consciência e com a ajuda de respiradores artificiais. Trata-se do que hoje se conhece como “morte cerebral”.

Pseudocoma: tetraplégico e com paralisia de movimentos da faringe e da face, o paciente consegue apenas abrir as pálpebras e mover os olhos. Mas permanece acordado e em plena consciência, com a substância reticular ativadora intacta. Conhecido também como “síndrome de encarceramento”.

O longo caminho do ACORDAR de um BOM SONHO ou de UM PESADELO da VIDA, dependendo como foram suas ESCOLHAS…

Morte do cérebro: se o sangue deixar de fluir no cérebro por mais de 4 minutos, os neurônios do córtex param de funcionar e a pessoa deixa de sentir e pensar. Depois, o tronco cerebral entra em pane. Sem ele, cessam os movimentos involuntários do corpo – principalmente a respiração.

O coração pára: com ajuda de um respirador, o coração pode ser mantido batendo e o sangue circulando. E apesar de clinicamente morto, o paciente pode suar e reagir a cortes. Mas se os aparelhos forem retirados, coração e respiração param.

As células estancam: o sangue pára de circular e as células deixam de se reproduzir. Cabelo, barba e unhas interrompem o crescimento.

O fim dos órgãos: com o fim da circulação, o sangue começa a coagular nos órgãos e tecidos, deixando-os inviáveis para transplantes. Algumas exceções: as córneas, que podem ser retiradas até 3 horas, e os ossos, que resistem até 6 horas após o fim da respiração.

O cadáver: cerca de 3 horas após a parada cardíaca, o corpo toma o aspecto conhecido como morte. O fim da circulação deixa a pele pálida. O sangue estaciona, produzindo a rigidez cadavérica, que começa no pescoço e termina nos pés. O calor do corpo cai cerca de 10º C por hora, até ser regulado pela temperatura ambiente.

O esqueleto: o corpo começa a se comportar como um objeto físico. A membrana das células não funciona mais e o cadáver começa a perder água. Dezoito horas depois da parada cardíaca, as bactérias começam a decompor o cadáver e iniciam a putrefação. Depois de 8 semanas, resta apenas o esqueleto.

A EQM daqueles que QUASE ACORDARAM do HOLOGRAMA…

A paz: no início da experiência, a dor desaparece. Somem também as noções de tempo e espaço. A pessoa é tomada por um sentimento indescritível de paz e serenidade. Essa fase ocorre em cerca de 60% das EQMs.

A viagem: a sensação é de se desprender do corpo físico e flutuar. Muitos dizem ver e ouvir o que se passa no ambiente em que o corpo está. Outros vão a lugares distantes – há até viagens espaciais.

O túnel: segue-se uma etapa transitória de escuridão. São comuns as descrições de viagens muito velozes por um túnel, como se a pessoa estivesse sendo tragada por um aspirador de pó gigante.

A luz: no fim desse túnel, quase sempre há uma luz. Sobreviventes de experiências de quase-morte dizem que essa é a luz mais brilhante que poderia existir no Universo e, ainda assim, não ofusca a visão.

A fronteira: em cerca de 10% dos casos, a pessoa relata entrar na luz do fim do túnel. Além dela, há ambientes paradisíacos e um limite que, ser for ultrapassado, tornaria a morte irreversível. A pessoa acorda em seu corpo e volta a sentir dor.

Quase todos que passaram por EQM recordaram vividamente todos os fatos de sua vida.

Durante a EQM, a pessoa pode vir a encontrar uma esfera que encerra todo o conhecimento do Universo. O ego desaparece, tudo e todos passam a ser uma coisa só, assim como os físicos e cientistas chegaram a essa nova conclusão de que TUDO É UM, de que TUDO É UM HOLOGRAMA, UM SONHO. ESTAMOS COMO QUE DORMINDO, MAS EM BREVE RESSUSCITAREMOS, E PASSAREMOS DA MORTE PARA VIDA, COM VIDA ETERNA. RESSUSCITAR COM ELE NA SUA VINDA É O MESMO QUE ACORDAR, DESPERTAR, SAIR DO SONO DA VIDA. Quando morrermos acordaremos e não como dizem muitos equivocados: dormimos. Descansamos sim, se somos SALVOS, mas CONSCIENTES como antes, mas NUM MUNDO REAL e não mais em HOLOGRAMAS, posso então terminar com uma PUJANTE e GLORIOSA REVELAÇÃO: JESUS, YAHSHUA, O CRIADOR EM CARNE VEIO NOS TRAZER A POSSIBILIDADE DE EXISTIRMOS DE VERDADE, REALMENTE, PODENDO SAIR DOS SONHOS E PESADELOS, ACORDAR, VIVER PARA TODO O SEMPRE COM ELE, O AUTOR DA VIDA, A PRÓPRIA VIDA. COMO É BOM ACORDAR, COMO É BOM ACABAR UM PESADELO, E ESSE ACORDAR CHAMA-SE MORTE, A TRANSIÇÃO DO SONHO PARA O DESPERTAR, E ESSE PESADELO CHAMA-SE MUNDO, DE ONDE ELE VEIO NOS SALVAR. AI dos QUE SE PERDEREM, POIS NUNCA PODERÃO VIVER REALMENTE, SAIRÃO DA VIDA HOLOGRAMA PARA UM TORMENTO DE CONSCIÊNCIA, O JUÍZO DAS ALMAS E SENTENÇA FINAL COM A SEGUNDA E DEFINITIVA MORTE NO GEENA, ANIQUILADOS PELAS SUAS MALDADES, NUNCA PODERÃO VIVER REALMENTE, ACORDAR REALMENTE, DESPERTAR REALMENTE, SÓ PASSARAM ALGUNS SEGUNDOS NUMA NOITE DE SONO PROJETADA, DE ONDE ESCOLHERAM VIVER PESADELOS E POR SEREM MÁS CONSCIÊNCIAS SERÃO ANIQUILADOS. OS SALVOS SIM VIVERÃO UMA VIDA PALPÁVEL, TANGÍVEL, VERDADEIRA, GENUÍNA, VERÍDICA, AUTÊNTICA, LÍDIMA, FIDEDIGNA, LEGÍTIMA, ORIGINAL, ORGÂNICA…

AKEL